Radio Online Rádio Villa Mix Ouça o melhor da música em nosso site!
Português Italian English Spanish

Território do Sisal tem grande variação entre calor e frio, com resultados no aumento de doenças

Território do Sisal tem grande variação entre calor e frio, com resultados no aumento de doenças

Calor. Frio. Frio. CalorForam tantas as mudanças de temperatura desde a semana passada no Território do Saial da Bahia, que nosso corpo sentiu como se fosse uma gangorra térmica. Em Serrinha, por exemplo, a temperatura varior, no domingo (08), entre 19 e 31° C. Essa é a mesma amplitude térmica (variação) que está sendo notada em Araci nesta terça-feira (10). O corpo humano também sente essa montanha-russa de altas e baixas temperaturas, fazendo como que nosso organismo não consiga se adaptar. A Voz do Campo consultou um médico que trabalha na rede pública em Araci e Salvador, para saber quais as doenças mais comuns nesta época. Segundo Tiago Fonseca, gripe, quadros alérgicos, pneumonia e exacerbação de asma são doenças respiratórias de maior prevalência nas unidades, quando ocorre mudanças climáticas. “Mudança climática gera efeito nas inflamações de vias aéreas superiores e tem muita interferência do ponto de vista da saúde”, afirmou ele. Ao site, ele confirmou que há um aumento de pacientes nos hospitais.

Veja o que fazer nos casos de grande variação térmica em um período tão curto, quais os grupos de pessoas mais afetados e como se prevenir dos problemas.

Grupos mais vulneráveis

Todos sofrem com as mudanças repentinas, mas idosos e crianças formam o grupo considerado mais exposto pelos médicos. Os idosos sentem um pouco mais porque têm mais dificuldade de adaptação. A eficácia das defesas do corpo decai um pouco com a idade, o que deixa o sistema imunológico menos eficiente, segundo o médico. É um período da vida mais vulnerável, e as alterações súbitas de temperatura aumentam os riscos da pré-disposição a infecções por vírus e bactérias. As mudanças também podem causar ser gripe, resfriado, sinusite viral, faringite e até risco pneumonia. Outro agravante é que alguns idosos têm, ao mesmo tempo, doenças crônicas e tomam bastante medicação. O segundo grupo mais exposto é o das crianças. O organismo tem que fazer mudanças muito bruscas para se adaptar à temperatura. O resultado são dois grandes problemas que atingem esta faixa etária: crises de asma e infecções respiratórias virais.

Como se prevenir

Desde que se começa a respirar pelo nariz já existe um sistema de prevenção nas próprias vias respiratórias. Pele, cílios, mucosas e anticorpos operam como os guardiões do corpo. O melhor a fazer é colaborar com essas defesas naturais, com cuidados preventivos como tomar bastante líquido, ter uma alimentação balanceada com carnes, verduras e frutas e evitar exposição a chuva e a pessoas que tenham alguma doença viral. A vacina contra a gripe é recomendada. Prevenção também pode ser previsão: ao sair de casa no calor, lembrar que sempre pode esfriar à noite. Daí a importância de os pais vestirem as crianças adequadamente. E não há milagres.

Fonte: A voz do campo